Imigrar para os Estados Unidos

Aqui vai a descricao da pagina mesmo que seja muito

LÍNGUA E CULTURA NO EXTERIOR



 

Língua é fundamentalmente comportamento humano. Portanto, a forma mais completa de aprendizado é aquela proporcionada pelo convívio humano no exterior. A experiência de se viver no país estrangeiro e assimilar sua língua e cultura é mais eficaz e de mais valor do que anos de instrução formal recebida em sala de aula.

Existe um grande número de programas no exterior que, direta ou indiretamente, têm como objetivo o aprendizado da língua e da cultura local. Nosso objetivo aqui é classificá-los e descrevê-los para facilitar aos visitantes deste site acharem a opção ideal.

  • Intercâmbio para adolescentes em public high shool: São programas de intercâmbio para adolescentes de 15 a 18 anos. O aluno reside com uma família como se membro dela fosse, e freqüenta escola secundária pública. Um semestre completo pode custar de 3.300 a 4.500 dólares, enquanto que dois semestres podem custar de 3.700 a 5.000 no total. Os representantes são normalmente agências de viagens ou escolas de línguas. Alguns vinculam o programa à passagem aérea; outros deixam o cliente livre para comprar a passagem de seu agente de viagens de confiança ou daquele que oferecer o preço mais competitivo. Este tipo de programa é normalmente seletivo, e o processo de seleção, demorado. Para participar, o aluno tem que demonstrar um domínio intermediário-avançado de inglês, e tem que provar através de histórico escolar que tem um bom rendimento na escola.
  • Intercâmbio para adolescentes em private high school: São programas de intercâmbio para adolescentes de 15 a 18 anos. O aluno freqüenta escola secundária particular e reside ou em casa de família, ou no internato da escola (boarding school). A principal diferença do programa em private high school está na qualidade das escolas. Embora a maioria das escolas públicas nos EUA seja de boa qualidade (principalmente na área da psicologia educacional), sem dúvida, as escolas particulares são excelentes. Outra diferença é que o aluno, além dos programas de um semestre e um ano, pode optar por períodos maiores do que um ano. Estes programas de intercâmbio em escolas particulares são logicamente mais caros do que aqueles em escolas públicas. Os preços variam significativamente conforme a escola.
  • Au pair: Au pair são programas de trabalho e de intercâmbio cultural de 12 meses com remuneração para jovens de 18 a 26 anos de sexo feminino. A au pair tem que ser uma pessoa com experiência e com talento para cuidar de crianças. O programa representa para a jovem uma oportunidade de assimilar a língua e a cultura ao mesmo tempo em que recebe uma remuneração em troca de 45 horas/semana de trabalho com criança. Este tipo de programa, quando intermediado por organização credenciada pelo órgão de imigração do país do exterior, é normalmente bastante seletivo, e o processo de seleção é bastante demorado e burocrático. A jovem tem que comprovar experiência no trato com crianças, responsabilidade, possuir nível intermediário/avançado de inglês, bom estado de saúde e carteira de motorista.
  • Estágios remunerados: São todos aqueles programas que oferecem algum tipo de trabalho remunerado, em paralelo à língua e à cultura. São sempre seletivos e inglês é sempre um pré-requisito para os países de língua inglesa.
  • Programas de ESL ou EFL: ESL (English as a Second Language) e EFL (English as a Foreign Language) se referem a escolas em países de língua inglesa especializadas no ensino de inglês para estrangeiros. O custo dessas escolas pode variar de 260 a 600 dólares por semana, incluindo tudo: estadia, alimentação e estudos. A maioria oferece diferentes opções de estadia, inclusive em casa de família. Estes programas são para qualquer idade (a partir de 16 ou 17 anos), não são seletivos, e não requerem domínio sobre o inglês. O aluno também escolhe a data de início e a duração do período que pretende estudar lá. Algumas dessas escolas também oferecem programas TESL, TEFL e TESOL, para professores de inglês que não falam inglês como língua mãe.
  •  
    • Programas de TESL, TEFL ou TESOL: Essas siglas significam respectivamente Teaching English as a Second Language, Teaching English as a Foreign Language e Teaching English to Speakers of Other Languages. Na prática, essas 3 siglas são usadas como sinônimos, e se referem à atividade de ensino da língua inglesa. Muitas escolas de ESL e EFL oferecem também programas rápidos em TESL ou TEFL, dirigidos a alunos avançados, que já se aventuraram como instrutores de inglês em seus países. Os melhores, entretanto, são aqueles programas oferecidos por universidades, e que têm uma duração normal de um semestre ou uma carga horária mínima de 150 horas/aula.
       
    • Graduação ou pós-graduação em universidade: Existem mais de 2.000 entidades de ensino superior nos EUA e Canadá, e cerca de 450 na Inglaterra. Essas universidades são bem distribuídas geograficamente e, embora algumas tenham melhor reputação do que outras, são todas excelentes se comparadas à média das universidades Brasileiras. Algumas são as melhores do mundo em suas áreas de destaque, o que faz com que educação superior se torne um importante produto de exportação naqueles países. Centenas de milhares de estudantes estrangeiros regularmente estudam em universidades norte-Américanas. Em níveis de mestrado e doutorado, cerca de 35% dos alunos são estrangeiros. Os preços podem variar desde 4.000 até mais de 20.000 dólares por ano. Para programas de graduação (undergraduate school) nos EUA, não existe vestibular, mas o aluno deve comprovar sua qualificação através de exames de conhecimentos gerais como o SAT ou o ACT, além de proficiência em inglês através do TOEFL.

    Texto compilado por Ricardo Schütz